Empreendedores, os navegadores do século XXI

Portugal após a entrada para a U.E e inicial convergência com os restantes estados membros, perdeu o seu desígnio, o seu propósito… Passamos a ser um país sem estratégia, sem visão de futuro, onde nada disto tinha importância pois vivíamos numa economia alavancada pelo endividamento e consumo excessivo.

Ora após bater no fundo, ouvimos falar em novos desígnios, uma reinvenção de toda a estrutura económica, visão essa que partiu do Governo,  a meu ver, ainda há muito por fazer, contudo parte essencialmente dos empresários. Sendo o nosso tecido empresarial composto essencialmente por PME’S, todo o romantismo que envolve a internacionalização baseia-se exclusivamente e apenas na lei da sobrevivência.

O mercado interno procura produtos tendo como prioridade o preço, logo, empresas de elevado valor acrescentado vêem-se obrigadas a exportar, sendo essa tarefa dificílima no mercado global onde todos competem com todos. É com enorme satisfação, e orgulho, que leio constantemente noticias positivas sobre as nossas empresas, se no caso de industrias como as do vinho e do calçado, começa a ser hábito, sou obrigado a referir o mobiliário como uma sector em expansão, onde as empresas Portuguesas lutam lado a lado com marcas Italianas e Francesas, sendo que cada vez com mais frequência levam a melhor.

Enquanto Português o meu obrigado a estes empresários, enquanto maiato, quero fazer duas referências em particular, desde do inicio do ano li várias noticias sobre algumas conquistas das nossas empresas, sendo a presença nos armazéns Harrods ( por sinal o centro comercial mais caro do mundo ) um reconhecimento da qualidade dos nossos produtos, devo referir que desde do inicio de 2014 duas empresas maiatas tem um espaço de exposição neste local, a empresa Munna e a empresa Frato estão de parabéns!

É um sinal a ter em conta o facto de duas em três novos expositores portugueses no Harrods terem a sua sede na Maia, a localização estratégica, assim como as infraestruturas que temos há nossa disposição tornam as nossas empresas mais competitivas, usufruindo de toda a qualidade de vida que a Maia proporciona, sendo este mix entre qualidade de vida e competitividade  que faz da Maia uma cidade à frente do seu tempo.

 

Aproveito para deixar o sitio das duas empresas acima referidas:

http://www.munnadesign.com/en/home

http://frato-interiors.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *