aldo-maia-opiniao-noticias-maia

“Geringonça dos Derrotados da Maia”

Desde 2013 que existe na Maia uma coligação de forças políticas de Esquerda que se assemelha à geringonça que governa a Nação, mas com menor qualidade e de princípios e valores ainda mais subversivos. A Esquerda na Maia, como bem sabemos, não defende os interesses da Cidade, apostando os seus esforços políticos para tentar destruir o bom trabalho que é realizado. É uma má estratégia porque felizmente o PSD da Maia governa há dezenas de anos, e tem realizado um trabalho notável, que serve inclusivamente de exemplo como boa governação autárquica para o resto do país.

Pese embora a demagogia no discurso e a irresponsabilidade governativa, a Geringonça nacional tem um discurso contra a austeridade, contra os cortes nos salários, a favor da contratação e do crescimento, ao contrário da Geringonça da Maia, que faz tudo para aplicar austeridade, impedir a contratação e condicionar a governação. A Geringonça dos Derrotados Maia é composta por um grupo de partidos derrotados nas últimas eleições, contendo o PS, o movimento MMM, a CDU e o BE. Nenhum destes partidos em coligação ou individualmente tem funções governativas, ou acordos formais, constituindo assim um conjunto de forças políticas ainda mais complexo e disforme do que a Geringonça de António Costa.

No dia 29 de Dezembro realizou-se a 4ª Assembleia Ordinária de 2016 da Freguesia da Cidade da Maia, sendo a última do ano e de natural importância, contendo na ordem de trabalhos a proposta de Orçamento da Maia para 2017, o Mapa de Pessoal e o Regulamento e Tabela de Taxas e Receitas da Freguesia. Mais uma vez, como esperado, a irresponsabilidade da oposição fez-se sentir do início ao fim dos trabalhos, como de resto se tem feito sentir desde o início do mandato. A Geringonça dos Derrotados da Maia mais uma vez votou irresponsavelmente contra.

Se quisermos perceber porque é que a Esquerda não governa na Maia, e porque é que vai continuar a não governar, basta termos em consideração a quantidade de opções que têm como objetivo prejudicar a população maiata. O leque de façanhas desta Geringonça é vasta, e infelizmente tudo indica que não vai ficar por aqui. Até agora em 3 anos, amputaram a Cidade da Maia de receber  540 mil euros de Acordos de Execução, conseguiram votar contra todas as propostas de orçamentos do executivo, apesar dos resultados serem claramente positivos, tentaram bloquear as alterações feitas ao Zoo da Maia, ignorando as evidentes melhorias nas infraestruturas e a saúde financeira que este executivo implementou, votaram contra todas as tentativas de alteração no Mapa de Pessoal, e pelo meio desta estratégia de política de terra queimada ainda conseguiram perder elementos. Vejamos que no início do mandato um elemento da bancada do PS demitiu-se das suas funções por não concordar com a forma de fazer oposição e o Presidente da Assembleia Hugo Campos, que foi candidato pelo PS, entretanto entregou o cartão de militante socialista. É uma Geringonça que não se entende entre si, mas que funciona porque tem o objetivo único de impedir a boa governação, apesar de não ter sucesso.

Nesta altura em que 2016 caminha rapidamente para o fim, e entramos em reflexão e planeamento de 2017, dou por mim a pensar que no próximo ano gostava de ser surpreendido pela oposição da Maia. Como Maiato ficaria contente, se em 2017 a oposição se apresentasse como uma força construtiva, capaz de apresentar propostas para defender os interesses da Maia. A oposição tem que perceber que quando vota contra uma transferência de 180 mil euros, prejudica os Maiatos, que quando vota contra um orçamento, vota contra os Maiatos, que quando atua para impedir a governação, está a prejudicar a população e a comprometer a confiança dos eleitores.

No fim deste 2016 deixo o apelo ao PS, ao MMM, à CDU e ao BE, para que façam um exercício de reflexão, e preparem um 2017 a pensar nos Maiatos.

Aldo Maia

3 comments

  1. Hugo Campos

    Lamentável a opinião aqui evidenciada de um senhor deputado suplente da Assembleia de Freguesia da Cidade de Maia, revelador daquilo que tem sido o desempenho do executivo da Junta de Freguesia da Cidade da Maia: inábil politicamente, desrespeitador da realidade democrática deste órgão.
    Tal como o executivo da coligação Sempre pela Maia, ainda não aprovou um único documento em 4 anos, também até ao momento este senhor não produziu qualquer intervenção ou iniciativa/ação/trabalho que se conheça para falar de forma tão imprecisa e irresponsável.
    Compreenda–se….vai lá de vez em quando apenas para substituir alguém!
    Ganhem, por favor, tento na língua!!
    Percebo que lhe encomendem o trabalho, mas por favor resguarde-se.

    • João Francisco

      Se este Hugo Campos é o Presidente da Assembleia, depois de ver este comentário, ficamos conversados. Está visto que nem sequer os mínimos da boa educação tem.

  2. Maria João Pinheiro

    Vindo de quem vem, o comentário do senhor Hugo Campos, diz bem da sua personalidade e da forma pouco democrática e nada competente como tem exercido as funções de Presidente da Mesa de Assembleia da Freguesia da Cidade da Maia.
    Já agora, deixo uma pergunta: que “intervenção ou iniciativa/ação/trabalho que se conheça” foram produzidos pelo senhor Hugo Campos durante este seu mandato?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *