Metro a circular toda a noite no Porto já a partir de sexta-feira

É já na próxima sexta-feira que as linhas Amarela e Azul (até à Senhora da Hora) do Metro do Porto vão começar a funcionar durante toda a noite. A experiência irá abarcar as noites de sexta-feira, sábado e vésperas de feriado e vai prolongar-se, para já, até ao dia 1 de Novembro. Depois, o programa será avaliado, podendo ser alargado ao resto do ano.

O programa-piloto Move Porto foi apresentado na manhã desta segunda-feira, na estação de Metro dos Aliados, uma das que estarão abertas durante toda a noite já na próxima sexta-feira. As viagens nocturnas vão permitir a circulação entre Santo Ovídio e o Hospital de S. João (Linha Amarela) e entre o Estádio do Dragão e a Senhora da Hora (Linha Azul), com uma frequência de 20 minutos, em ambos os sentidos.

O porta-voz da Metro do Porto, Jorge Morgado, explicou que as experiências já realizadas pela empresa, com a circulação ininterrupta durante as festas de S. João ou a Queima das Fitas, levaram a empresa a optar, para já, por manter encerradas duas estações em cada uma das linhas. Assim, na Linha Amarela não irá haver paragens nas estações de Salgueiros e Faria Guimarães, enquanto na Linha Azul permanecerão encerradas as estações da Lapa e do Heroísmo.

A dar apoio aos utilizadores do metro da madrugada estarão os parques de estacionamento da Senhora da Hora (gratuito e com 94 lugares) e o parque do Estádio do Dragão, com capacidade para 850 viaturas. Este último vai permitir aos utilizadores do cartão Andante pagar apenas uma taxa única de 0,95 euros por cada 12 horas consecutivas de utilização.

O funcionamento durante 24 horas do metro vai ainda ser acompanhado de um reforço, nos mesmos dias, das linhas da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP) que já operam durante a madrugada, nomeadamente, a 1M e 3M (para Matosinhos), 4M (Maia), 5M (Ermesinde), 7M (Valongo), 9M (Gondomar) ou a 10M e 11M (Vila Nova de Gaia). Fonte da Metro garantiu, contudo, que o modo como este reforço será feito – se em número de frequências se em aumento de capacidade dos transportes, com recurso a viaturas articuladas – ainda não está definido.

Durante a apresentação do Move Porto, o presidente da Metro e da STCP, João Velez de Carvalho salientou o carácter de “serviço público” desta experiência, adiantando que a mesma será “avaliada em conjunto” em Novembro. Já o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, preferiu destacar a importância desta medida na construção de uma cidade “interessante e confortável”. Aos frequentadores da noite do Porto, o autarca deixou um apelo e uma promessa: “Espero que sejam utilizadores deste serviço, eu prometo que vou ser. Se correr como nós esperamos, não será um programa temporário, será um programa definitivo.”

O programa Move Porto deverá ainda ser acompanhado por outra medida que o município já disse querer implementar – o encerramento de algumas ruas da Baixa ao trânsito, durante a noite. Mas, para já, ainda não há dados concretos sobre esta medida.

As viagens no metro da madrugada terão o mesmo custo que uma viagem Z2, ficando cada trajecto por 1,20 euros. A Metro garante que irá também existir “um reforço da segurança nas composições e estações de metro” abertas durante toda a noite.

 

Fonte: “Público”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *