Esta tarifa permite que as pessoas com baixos rendimentos possam usufruir de um desconto significativo na água, saneamento e resíduos de forma automática.

O Bloco de Esquerda da Maia fez saber qe defende a Tarifa Social Automática da Água, uma tarifa que permite que as pessoas com baixos rendimentos possam poder usufruir de um desconto significativo na água, saneamento e resíduos de forma automática, isto é, sem terem de concorrer a um apoio.

Cozinca

Na 2ª sessão ordinária da Assembleia Municipal da Maia, de 26 de abril de 2021, o Grupo Municipal do Bloco de Esquerda defendeu a aplicação, por parte do Município da Maia, da Tarifa Social Automática da Água.

O Bloco refere que “o Decreto-Lei nº 147/2017 veio estabelecer o regime de tarifa social, a atribuir pelo Município territorialmente competente e a aplicar a clientes finais do fornecimento dos serviços de águas”. A atribuição desta tarifa procede-se “de forma automática, não carecendo de pedido ou requerimento”. Para este efeito, “os Municípios obtêm a informação sobre a elegibilidade dos potenciais beneficiários, mediante o número de identificação fiscal do titular do contrato e do código do local de consumo, através da Direção Geral da Administração Local que, para este efeito, consulta os serviços competentes da Segurança Social e da Autoridade Tributária e Aduaneira”.

Os deputados do Bloco relevam que “este serviço agiliza a comunicação entre os organismos da Administração Pública e garante a utilização correta e fidedigna da informação existente nas bases de dados oficiais”.

Porém, as opções do novo Regulamento do Tarifário Social da Água e Resíduos da Maia vêm frustrar a possibilidade do automatismo do processo, “o qual permitiria uma redução drástica da burocracia para os cidadãos e para as cidadãs do concelho, com clara economia de recursos”.

Para o Bloco, “a ideia de que só têm direito à tarifa social quem o Município decide chega a ser humilhante, dada a necessidade de preenchimento de uma declaração de consentimento por parte do potencial beneficiário”, que serve para legitimar a ação fiscalizadora dos serviços competentes com recurso ao cruzamento de dados pessoais com os constantes nas bases de dados de outros organismos.

“A recusa desse tratamento leva à exclusão pura e simples da candidatura pelo facto do requerente não dar consentimento ao cruzamento dos seus dados pessoais”, termina o Bloco em comunicado.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.