Associação do setor afirma que a proibição é “inaceitável” e pode levar ao desemprego e fim da atividade para muitos cinemas.

Já não é possível comer pipocas enquanto vê um filme no cinema. A Direção Geral da Saúde (DGS) proibiu a venda de produtos alimentares e refrigerantes nestes locais.

Cozinca

A medida, segundo a DGS, pretende minimizar o risco de contágio da Covid-19, assim como a higienização das salas, o distanciamento físico e o uso obrigatório de máscara. No entanto, está a causar revolta no setor, que acumula quebras de atividade de 80%. A Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais considera “inaceitável” a proibição do consumo de pipocas nos cinemas.

De acordo com o decreto-lei que regulamenta o atual estado de emergência e que vigora desde terça-feira, é proibido comer e beber dentro de salas de espetáculo, designadamente salas de cinema. “Nas áreas de consumo de cafetaria, restauração e bebidas destes equipamentos culturais devem respeitar-se as orientações definidas pela DGS para o setor da restauração, não sendo permitido o consumo de alimentos ou bebidas no interior das salas de espetáculo ou de exibição de filmes cinematográficos”, pode ler-se no diploma.

Esta foi “a cereja no topo do bolo para acabar com a atividade”, avisa o diretor-geral da Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais, Paulo Santos, depois de já terem sido proibidas as sessões à noite (que representavam 40% de receitas da bilheteira) e ao fim de semana a partir das 13.00, já que as receitas dos bares (que normalmente representam um terço do total), eram muitas vezes superiores às de bilheteira.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.