Esquema terá resultado na obtenção de vantagens patrimoniais ilegítimas no valor de 7,5 milhões de euros.

O fisco e a PJ desmantelaram, esta quarta-feira, dia 21 de julho, uma rede de fraude organizada que operava no setor da indústria têxtil, cujo esquema terá resultado na obtenção de vantagens patrimoniais ilegítimas em impostos e subsídios no valor de 7,5 milhões de euros.

Cozinca

No decurso da operação “Trapos”, as autoridades realizaram 26 buscas domiciliárias e não domiciliárias no Porto, Penafiel, Maia, Matosinhos, Viseu, Guimarães, Marco de Canaveses, Ponte de Lima, Trofa e Gouveia, tendo ainda executado sete mandados de detenção fora de flagrante delito, que tiveram como alvos empresas e pessoas que operam no setor industrial referido sobre as quais recaem suspeitas de prática dos crimes de fraude fiscal qualificada, burla tributária, fraude na obtenção de subsídio e branqueamento de capitais.

“O valor global dessas vantagens patrimoniais ilegítimas estima-se, por ora, em cerca de 7,5 milhões de euros, verificando-se que os proventos desta atividade delituosa são branqueados com a realização de negócios no setor imobiliário”, referiu a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), em comunicado.

“Este esquema delituoso sustenta-se na existência de diversas sociedades geridas, de facto, por um único individuo, que socorrendo-se do auxilio de funcionários, contabilistas e os chamados ‘testas de ferro’, através de um complexo sistema de faturação cruzada, da utilização de diversa faturação falsa, e da realização de negócios não faturados, logrou obter vantagens patrimoniais ilegítimas em sede de IRC e IVA, bem como ainda obter subsídios de forma ilegítima”, explicou a AT.

Os arguidos detidos foram sujeitos a primeiro interrogatório judicial, tendo sido decretadas medidas de coação que “consistem em prestação de cauções económicas, proibição de contactos, apresentações periódicas em postos policiais e proibição de exercício de funções”. Mais ainda, foi decretado o “arresto preventivo de diversos imóveis pertencentes a uma das empresas arguidas cujo valor global foi fixado em 2.486.649,96 euros”.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.