Notícias Maia

A Primavera e os olhos vermelhos

© DR
Partilhas

Estamos na Primavera.  Regresso das flores, dos dias maiores e mais quentes… Para muitos é o regresso das alergias, dos olhos vermelhos com ardência e comichão.

Se imediatamente se revê neste cenários, não está sozinho. As alergias oculares são muito comuns. Estima-se que afetem 15% a 20% da população mundial.

Quando se desencadeia a reação alérgica ocular a sintomatologia é semelhante à da conjuntivite, cujo principal sintoma é a comichão. Além disso podem estar presentes:

  • lacrimejo constante;
  • visão desfocada;
  • olho vermelho;
  • ardência;
  • picadas oculares.

Os sintomas de alergia ocular podem aparecer a qualquer altura do ano, dependendo do agente causador. As alergias típicas na Primavera são classificadas como sazonais e aparecem por causa dos agentes alérgenos transportados pelo ar exterior: pólen, erva, pó, entre outros. Por seu lado, as alergias perenes, as que ocorrem durante todo o ano, têm diferentes causadores como o pelo dos animais de estimação, ácaros, lentes de contacto, produtos de higiene, cosméticos, perfumes, medicação, alimentação de origem marinha (camarão, lagosta e outros frutos do mar) … e surgem por um período mais estendido de tempo.

Os portadores de rinite alérgica, asma ou dermatite atópica são mais susceptíveis de desenvolver alergias oculares, e como tal deverão ter mais cuidados.

Nas doenças alérgicas, a prevenção é a chave do tratamento. Quem as tem deve adotar os seguintes cuidados:

  • Manter os ambientes arejados e com boa exposição ao sol;
  • Evitar objetos que acumulem pó, como cortinas, carpete, tapetes, … e/ou lavá-los frequentemente;
  • Manter limpo o filtro do ar condicionado;
  • Evitar ambientes com pó, fumo ou odores fortes;
  • Lavar roupas guardadas há muito tempo antes de usar;
  • Evitar de coçar os olhos, pois isto estimula mais a alergia ocular;
  • Evitar plantas com flores dentro de casa;
  • Dormir com roupa de cama sintética, evitando edredões de lã, mantas, cobertores felpudos e lençóis de flanela.

A primeira ação será evitar o alérgeno que iniciou a alergia, o que infelizmente, nem sempre é fácil de identificar. Nesse caso, existem algumas recomendações para tratamento doméstico que podem ajudar na obtenção de alívio dos sintomas, como o uso de gotas lubrificantes e compressas frescas sobre os olhos fechados.

Se persistir algum dos sintomas referidos acima, deve marcar uma consulta no especialista. O seu optometrista pode ajudá-lo a identificar o problema e as causas, de forma a reencaminhá-lo para a especialidade médica mais indicada para a prescrição do tratamento, normalmente baseada na aplicação de colírios com agentes anti-histamínicos e/ou anti-inflamatórios. É fundamental seguir sempre as recomendações dadas para o tratamento.

Dra. Patrícia Rodrigues
Optometrista Grupótico

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Mais Populares

Top