Partilhas

O Primeiro-ministro diz que “ainda não é tempo do desconfinamento”, confirmando que o atual estado de emergência se mantém sem alterações.

António Costa revelou esta sexta-feira, na conferência de imprensa depois da reunião do Conselho de Ministros, que o Governo vai apresentar o plano de desconfinamento para o país dentro de 15 dias, a 11 de março.

Cozinca

“Tal como o fizemos há um ano, será um plano de desconfinamento gradual e que será guiado por um conjunto de critérios objetivos que nos permitam ir medindo aquilo que é a evolução da pandemia. No dia 11 de março esse trabalho será apresentado publicamente depois da apresentação nas sessões de Infarmed e da validação pelo Governo“, explicou o primeiro-ministro.

Para já, António Costa diz que apesar das melhorias ainda não é possível reabrir o país. “Temos tido melhorias, mas todas são relativas e estamos melhor face à pior situação em que estivemos nesta pandemia”, afirmou o primeiro-ministro, sublinhando que “este ainda não é o tempo do desconfinamento”.

Escolas poderão ser as primeiras a abrir portas

Quanto às escolas, Costa recordou que o Governo resistiu ao seu encerramento, “pelos fatores de desigualdade entre os alunos”, e confirma que serão os primeiros estabelecimentos a abrir portas.

“Foi a última medida que tomámos e, por isso, é natural que seja a primeira medida a adotar no desconfinamento”, acrescentou o governante.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.