O Plano de Desconfinamento do Governo dá conta de 3 momentos diferentes para a retoma da atividade do comércio.

Algum comércio local, cabeleireiros, manicures e similares, livrarias e comércio automóvel já retomaram a sua atividade nesta segunda-feira. De acordo com o Plano de Desconfinamento do Governo, divulgado na semana passada, a retoma da atividade de diferentes setores será faseada e alvo de avaliação regular, quer a nível de cumprimento de normas de segurança, quer a nível do impacto na própria evolução da pandemia.

Neste Plano de Desconfinamento é possível compreender 3 momentos diferentes para a retoma da atividade do comércio a 4 e 18 de maio e a 1 de junho.

A primeira fase começa a 4 de maio e incluiu: Comércio local de lojas com porta aberta para a rua até 200 metros quadrados; Cabeleireiros, manicures e similares; Livrarias; E comércio automóvel, independentemente da área.

Na segunda fase, a 18 de maio, poderão abrir: Lojas com porta aberta para a rua até 400 metros quadrados ou partes de lojas até 400 metros quadrados (ou maiores por decisão da autarquia); Restaurantes, cafés e pastelarias e esplanadas.

Na terceira fase, a 1 de junho, será permitida a retoma da atividade de: Lojas com área superior a 400 metros quadrados ou inseridas em centros comerciais.

Mas há que cumprir certas normas. As condições especificadas pelo Governo para esta abertura progressiva são:

  • Nas lojas, é obrigatório o uso de máscara. O seu funcionamento será a partir das 10:00h.
  • No segmento de cabeleireiros e similares, o atendimento será feito apenas por marcação prévia.
  • Nos espaços fechados a lotação máxima é de cinco pessoas por 100 metros quadrados.
  • Nos Restaurantes a lotação será de 50% e o funcionamento até às 23h.

António Costa explicou que o objetivo do executivo, com este calendário faseado de reabertura, “é medir em cada 15 dias os impactos da medida anterior, vendo se é possível ou não dar mais um passo”.

Veja aqui o Plano de Desconfinamento de forma mais discriminada:

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.