Maia, Matosinhos, Santo Tirso e Valongo vão unir esforços para a recuperação ecológica do rio e a valorização paisagística, cultural e socioeconómica do território que ele atravessa.

Os municípios da Maia, Matosinhos, Santo Tirso e Valongo assinaram esta segunda-feira, 31 de maio, em Santo Tirso, a escritura de constituição da associação de municípios Corredor do Rio Leça. 

Cozinca

Segundo o portal de notícias do Município da Maia, “o objetivo principal [da associação] é a recuperação ecológica do rio e a valorização paisagística, cultural e socioeconómica do território que ele atravessa, desde a nascente até à foz, bem como, a promoção de conhecimento, novas oportunidades de mobilidade suave, lazer e estadia ao longo do rio, sensibilização ambiental, valorização do contacto com a natureza, dos serviços de ecossistema e da vida ao ar livre”.

A Corredor do Rio Leça – Associação de Municípios é a primeira associação intermunicipal do país a ter como objetivo a recuperação de um rio, dedicando-se a partir de agora à gestão, execução e manutenção do plano estratégico de recuperação do Rio Leça.

Na cerimónia, António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, sublinhou que “todo o percurso desenvolvido até aqui pelos quatro municípios dá-nos a certeza de que a despoluição e a fruição do rio Leça pelas populações vão ser uma realidade. O Leça é estratégico para o território. É uma riqueza que foi negligenciada por sucessivas gerações mas que irá finalmente ser devolvido à população e induzir a criação de riqueza e benefícios ambientais”.

Uma das ações a realizar por este grupo de trabalho será a candidatura ao programa REACT EU que, segundo informação divulgada pelo município da Maia no início de maio, corresponderá a 4 milões de euros.

“A Maia já investiu largas dezenas de milhões de euros no rio Leça”

No início do mês de maio o NOTÍCIAS MAIA questionou a Câmara Municipal sobre a totalidade do investimento no Rio Leça. Sem revelar um número certo, a autarquia garantiu que “a Maia já investiu largas dezenas de milhões de euros no rio Leça e nos seus afluentes”.

Mais ainda, explicou que “aquele que mais impacto produziu no rio foi, sem dúvida, a rede de recolha e tratamento de esgotos, que atualmente chega a 100% do nosso território”.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.