Partilhas

Relocalização de pórticos na A4 e intervenções física na VCI são algumas das possibilidades apontadas pelo grupo de trabalho. Sobre retirar os pórticos na A41, nada se concluiu.

O Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, reuniu hoje com os Presidentes das Câmaras da Maia e do Porto e com o Presidente da Infraestruturas de Portugal, António Laranjo, para discutir a questão das acessibilidades no Grande Porto.

Cozinca

A reunião aconteceu nesta sexta-feira, dia 18 de setembro, na Quinta dos Cónegos, na Maia.

O tema central dizia respeito a medidas a serem tomadas para descongestionar a VCI e a Via Norte mas no final da reunião, em concreto, muito pouco foi dito aos jornalistas.

 

“Leque muito vasto de intervenções”

Em declarações, o Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, afirmou que, em cima da mesa está um “leque muito vasto de intervenções” e que o próximo passo é analisar estudos já feitos e juntar Matosinhos e Vila Nova de Gaia ao grupo de trabalho.

Para já, Jorge Delgado abordou a possibilidade da solução do descongestionamento na VCI passar por intervenções ao nível da A4, como a relocalização de pórticos, ou por intervenções físicas na VCI, como o tratamento de nós e faixas.

Questionado sobre a retirada de pórticos na A41, o Secretário de Estado das Infraestruturas explicou que essa “decisão não está tomada” e que mesmo a possibilidade de isentar os veículos pesados de pagamento poderá não resolver o problema de trânsito.

“A situação é urgente já há muito tempo”

Também em declarações aos jornalistas no final a reunião, Rui Moreira salientou que esta é uma “questão de mobilidade, ambiental e sinistralidade” e que, no caso do Porto, o tráfego “vai agravar-se com a construção da linha rosa e as obras no tabuleiro inferior da ponte D. Luis I”.

Questionado sobre como a intervenção na A4 se enquadra nestes planos, o Presidente da Câmara Municipal do Porto não quis detalhar mas pareceu agrado com a possibilidade apresentada pelas Infraestruturas de Portugal.

“Se não for a bem, terá que ser a mal”

O Presidente da Câmara Municipal da Maia explicou que será concretizada “uma solução que seja inteligente e que resolva os problemas, ou os minimize”.

António da Silva Tiago lembrou que, na Maia, “o maior problema, além da Via Norte, são os pórticos na A 41”. “Com esta abordagem vamos resolvê-los. Se não for a bem, terá que ser a mal”, garantiu o autarca.

A próxima reunião já está agendada para a 2ª quinzena de outubro e, tal como todas as reuniões deste grupo de trabalho, acontecerá na Maia.

Secretário de Estado garante renovação do Contrato Local de Segurança no Sobreiro

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.