Partilhas

“Não seremos coniventes com esta farsa que, sob a capa de uma eleição, encobre uma nomeação”.

O movimento de Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, apelou esta sexta-feira, 9 de outubro, a que os autarcas que não participem na eleição do presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), denunciando que o ato eleitoral é “uma farsa”.

“Participar num acto previamente acertado pelo Bloco Central, em total desconsideração pelos eleitos locais, desprestigia e descredibiliza a democracia portuguesa. Não seremos coniventes com esta farsa que, sob a capa de uma eleição, encobre uma nomeação”, anunciou, em comunicado, a associação Cívica Porto, o Nosso Movimento.

A eleição indirecta do presidente da CCDR-N, até agora nomeado pelo Governo, está agendada para terça-feira e tem como único candidato António Cunha, antigo reitor da Universidade do Minho.

“O Porto, o Nosso Movimento nada tem contra o candidato em apreço, que merece todo o nosso respeito, mas não aceita que uma nomeação decidida pelo primeiro-ministro e pelo líder da oposição seja apelidada de eleição”, crítica a associação.

Ao instigar à não-comparência dos autarcas no ato eleitoral, a associação cívica manifesta-se contra um modelo de eleição que apelida de “anti-democrático”, culpando o PS e o PSD.

Para a associação, num momento em que o país está a braços com o final da execução do Portugal 2020 e a necessidade de programar o novo quadro e ainda “a dita bazuca” europeia comunitária, é “imperativo” que a utilização dos fundos seja realizada de forma estratégica, inteligente, adequando-a às reais necessidades e anseios da região “mais exportadora do país e a que mais cresce em convergência com a Europa”.

“Os autarcas chamados a votar no próximo dia 13 vão eleger um nome para cinco anos, a um ano de terminar os seus mandatos. Não é esta uma forma de condicionar os futuros eleitos locais numa escolha em que não vão participar?”, questiona.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.