Partilhas

O ano passado, foram contabilizadas quase 690 milhões de pessoas subnutridas (8,9% da população mundial).

Cerca de 132 milhões de pessoas podem juntar-se este ano aos quase 690 milhões que passaram fome em 2019, um aumento motivado pela covid-19, anunciou na passada sexta-feira, dia 16, a ONU, ao assinalar o Dia Mundial da Alimentação.

Nonna Vespa

A situação levou as Nações Unidas a lançarem um apelo, sob o lema “Cultivar, nutrir, preservar. Juntos. As nossas ações são o nosso futuro”, para pedir solidariedade e cooperação face à ameaça que a pandemia representa para a segurança alimentar.

De acordo com as Nações Unidas, o coronavírus pode empurrar, este ano, mais 83 a 132 milhões de pessoas (consoante o cenário económico) para situações de fome.

Em 2019, após uma revisão em baixa dos números da China, foram contabilizadas quase 690 milhões de pessoas subnutridas (8,9% da população mundial), mais 10 milhões do que em 2018.

Ásia é o continente mais afetado

A Ásia registou o maior número de pessoas com fome (381 milhões), seguida da África (250 milhões) e da América Latina e Caraíbas (48 milhões).

O Programa Alimentar Mundial (PAM), que recebeu este mês o Prémio Nobel da Paz, não hesita em culpar a violência pelas maiores crises alimentares. Facto é que o número de pessoas que passam fome em todo o mundo tem vindo a aumentar continuamente desde 2014.

Covid-19: Maia já tem mais de um infetado a cada 100 habitantes

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.