Partilhas

Há mais mil e setecentos maiatos sem emprego desde fevereiro de 2020.

Após meses a registar mínimos de desemprego em vários anos, a pandemia da Covid-19 veio inverter a tendência que se vinha a registar na Maia ao nível do emprego, de acordo com a análise dos dados mensais, publicados esta semana pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Cozinca

Entre fevereiro e dezembro, ou seja, desde o início da pandemia da Covid-19, há mais 1710 pessoas desempregadas no concelho, um crescimento de 46,6% que vem evidenciar o forte impacto da Covid-19 no mercado de trabalho.

No grupo de municípios de referência, vizinhos da Maia, Vila do Conde (+33,8%) e Vila Nova de Gaia (+31,3%) são aqueles onde o desemprego mais cresceu. No inverso da tabela estão Santo Tirso (+8,58%) e Valongo (+20,4%).

No mesmo período, ou seja, entre fevereiro e dezembro de 2020, o número de desempregados cresceu 18,9% em Portugal, enquanto que na região Norte o aumento foi de 20,9%.

Evolução do número de desempregados entre fevereiro e dezembro de 2020, em municípios de referência

Unidade Geográfica Fevereiro 2020 Dezembro 2020 Variação
País 315 562 375 150 18,9%
Norte 124 337 150 308 20,9%
Maia 3 670 5 380 46,6%
Vila do Conde 2 233 2 987 33,8%
Vila Nova de Gaia 13 440 17 641 31,3%
Matosinhos 6 380 8 329 30,5%
Gondomar 5 988 7 673 28,1%
Porto 9 736 12 303 26,4%
Trofa 1 007 1 252 24,3%
Valongo 3 625 4 365 20,4%
Santo Tirso 2 377 2 581 8,58%

Distrito do Porto com mais 26% de desempregados, face a fevereiro de 2020

O distrito do Porto contabilizava, em dezembro de 2020, 84073 inscritos nos centros de emprego, mais 17440 relativamente a fevereiro do mesmo ano, mês que antecedeu o primeiro confinamento devido à Covid-19, de acordo com os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Dos 84073 inscritos em dezembro, 91% estavam à procura de novo emprego e 56% estavam inscritos há menos de um ano. Mais de metade dos desempregados (56%) eram mulheres.

Todos os 18 concelhos do distrito do Porto registaram um aumento do número de desempregados inscritos, entre fevereiro e dezembro de 2020.

Vila Nova de Gaia foi o concelho que, em dezembro, registou o maior número de desempregados inscritos. Eram 17641, o que comparado a fevereiro representa um aumento de 4201 pessoas. Seguem-se o Porto, com 12303 desempregados inscritos, Matosinhos com 8329, Gondomar com 7673 e a Maia com 5380.

Marco de Canaveses foi o que contabilizou o menor aumento, contabilizando 2696 desempregados em dezembro, o que comparativamente a fevereiro representa mais 184 inscritos. Santo Tirso passou de 2377 inscritos em fevereiro para 2581 em dezembro (mais 204 pessoas).

A região Norte contabilizou em dezembro de 2020 um total de 150308 desempregados inscritos, mais 25971 pessoas do que em fevereiro.

Desde o início da pandemia Covid-19, o mês com o maior número de inscritos nos centros de emprego na região Norte foi agosto, com 158013 pessoas.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.