Partilhas

Governo determinou a aplicação de várias restrições, entre elas a limitação da circulação na via pública entre as 23.00h e as 5.00h.

O Governo voltou, esta quinta-feira dia 15 de julho, a alterar a lista dos municípios em risco elevado e muito elevado de incidência da Covid-19. Em causa está a aplicação de medidas restritivas, tais como o recolher obrigatório e o teletrabalho.


Por registar mais de 120 casos por 100 mil habitantes, em duas avaliações consecutivas, o concelho da Maia passou agora a figurar no grupo de “risco elevado”. Além das regras aplicadas a todo o território, somam-se agora:

  • Limitação da circulação na via pública entre as 23.00h e as 5.00h;
  • Teletrabalho obrigatório quando as funções o permitam;
  • Restaurantes, cafés e pastelarias funcionam até às 22.30h (no interior com até seis pessoas por grupo e nas esplanadas com uma máximo de dez pessoas por grupo);
  • Espectáculos culturais com os mesmos horários da restauração;
  • Comércio a retalho até às 21.00h.

Nos concelhos de risco “elevado” ou “muito elevado” aplica-se a exigência de certificado de vacinação ou teste negativo para aceder ao interior dos restaurantes (deixando de fora as pastelarias e cafés). Excetuam-se desta exigência o acesso às esplanadas, a entrada para uso dos lavabos ou a realização de pagamentos.

Tal como em todo o território continental, o início de estadias em alojamentos turísticos (incluindo hotéis e alojamento local) requer o certificado digital ou um teste negativo à Covid-19.

Tanto no turismo como na restauração, os menores de 12 anos estão isentos de apresentação de certificado ou teste negativo.

Concelhos em risco muito elevado:

Albergaria-a-Velha; Albufeira; Alcochete; Almada; Amadora; Arruda dos Vinhos; Aveiro; Avis; Barreiro; Benavente; Cascais; Elvas; Faro; Ílhavo; Lagoa; Lagos; Lisboa; Loulé; Loures; Lourinhã; Mafra; Matosinhos; Mira; Moita; Montijo; Nazaré; Odivelas; Oeiras; Olhão; Oliveira do Bairro; Palmela; Peniche; Portimão; Porto; Santo Tirso; São Brás de Alportel; Seixal; Sesimbra; Setúbal; Silves; Sines; Sintra; Sobral de Monte Agraço; Vagos; Vila Franca de Xira; Vila Nova de Gaia; Viseu.

Concelhos em risco elevado:

Alcobaça; Alenquer; Arouca; Arraiolos; Azambuja; Barcelos; Batalha; Bombarral; Braga; Cantanhede; Cartaxo; Castro Marim; Chaves; Coimbra; Constância; Espinho; Figueira da Foz; Gondomar; Guimarães; Leiria; Lousada; Maia; Monchique; Montemor-o-Novo; Óbidos; Paredes; Paredes de Coura; Pedrógão Grande; Porto de Mós; Póvoa de Varzim; Rio Maior; Salvaterra de Magos; Santarém; Santiago do Cacém; Tavira; Torres Vedras; Trancoso; Trofa; Valongo; Viana do Alentejo; Vila do Bispo; Vila Nova de Famalicão; Vila Real de Santo António.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.