O reajustamento “afetará cerca de 10% da força de trabalho em diferentes áreas da organização”. O grupo emprega cerca de 1 300 trabalhadores.

O Super Bock Group, antiga Unicer, vai despedir cerca de 10% dos seus trabalhadores. A decisão foi comunicada esta tarde à Comissão de Trabalhadores e aos cerca de 1 300 trabalhadores do grupo sediado em Leça do Balio.

DS Crédito

Numa nota enviada às redações, o Grupo justifica a medida com a redução da atividade e o “cenário de recessão”, garantindo que este reajustamento é para “defender e proteger a sustentabilidade do grupo”. A empresa deixou, no entanto, a promessa de um programa de apoio que inclui “condições acima do quadro legal e um programa de ‘outplacement’ e formação focados na empregabilidade”. O processo arranca já em junho e deverá afetar cerca de 130 trabalhadores.

“A realidade atual é complexa e inédita e, num mundo cada vez mais volátil, a prioridade do Super Bock Group é, e será sempre, a sustentabilidade da empresa, adequando de forma contínua a sua estrutura às necessidades atuais e futuras do negócio”, lê-se na nota.

O Super Bock Group destaca, em particular, o canal de vendas que inclui os bares e a restauração, que representa cerca de 70% do mercado de bebidas em Portugal. Logo em março, a produção na fábrica começou a desacelerar devido ao fecho dos restaurantes e cafés acabando por diminuir drasticamente no período que se seguiu.

O Super Bock Group inclui também as marcas Vitalis, Vidago, Pedras Salgadas ou Frutea, entre outras bebidas. Recorde-se que, no final de janeiro deste ano, o grupo anunciou o aumento do salário mínimo pago aos seus colaboradores. 

Maiato extorquia dinheiro à namorada para não divulgar vídeo sexual

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.