Notícias Maia

Taça Internacional Maia Jovem é “estratégica” para a Maia

Partilhas

A Taça Internacional Maia Jovem, competição para jovens tenistas de alta competição que decorre até domingo, completa este ano 25 edições sendo um evento “estratégico para a componente económica do concelho”, indicou hoje o presidente da câmara.

“Este é, a par de outros eventos internacionais, uma enorme mais-valia desportiva que tem para a Maia uma outra componente económica que não é menos importante: a do turismo especializado, no caso concreto o turismo desportivo”, disse à agência Lusa o presidente da câmara da Maia, António Silva Tiago.

Pela Taça Internacional Maia Jovem, dedicada à categoria sub-14, em edições anteriores, passaram nomes da modalidade como o espanhol Juan Carlos Ferrero, João Sousa e o atual top 05 ATP Alexander Zverev.

Este ano estão presentes Diana Shnaider, número 01 da Rússia e Ada Piestrzynska, número 08 da Polónia. Enquanto são cabeças de cartaz no quadro masculino, Alexander Boekx da Bélgica (número 13) e Dinko Dinev da Bulgária (número 14).

O autarca da Maia destacou que “são este tipo de eventos que atraem ao concelho um número crescente de visitantes”, os quais, acrescentou o presidente, “começam a representar já um importante negócio para o comércio e serviços locais”.

“O turismo é um pilar estratégico para a economia nacional e a Maia está a fazer o seu caminho para incrementar a sua fatia de negócios no setor. Mas a aposta da Maia não passa, nem pode passar, pelo turismo de massas ou low-cost [mais apoiados nas praias ou no património]. Temos de ter propostas diferenciadoras que atraiam por razões que sejam sustentáveis a longo prazo, que não dependam de modas ou de eventos internacionais que não controlamos”, descreveu Silva Tiago.

De acordo com dados remetidos à Lusa, a vinda de mais de 300 atletas de 31 países, que consigo trazem treinadores e famílias ao ?Maia Jovem’ deste ano obrigou à procura de instalações hoteleiras fora do concelho, uma vez que as locais estão “lotadas”. Há seleções instaladas no Porto ou na Póvoa de Varzim, indicaram.

Henrique Rocha (13 anos) da Escola de Ténis da Maia é um dos tenistas nacionais que participa no torneio com o objetivo de “ganhar mais experiência e confiança para competições futuras”.

À Lusa, o tenista que já representou Portugal indicou que “além de do gosto de jogar em casa não prescinde de jogar na Maia por este ser um dos torneios mais competitivos da Europa”.

Daniel Ivanov (13 anos) é português, filho de pais russos, vive no Algarve, começou a jogar ténis com cinco anos e na Maia está à procura de “testar o seu nível de forma a perceber o que a modalidade lhe pode reservar no futuro”, como contou o pai, Yuri Ivanov.

Objetivo semelhante tem Quentin Lamothe (13 anos, francês) que está na Maia com a família. O pai, Franch Lamothe, avançou que “o investimento familiar é muito grande”, mas destacou que além de “importante a nível desportivo, este tipo de torneios torna-se especial porque permite que “pai e filho se conheçam, vivam momentos emotivos e cresçam juntos”.

“Estar com um filho numa competição é uma experiência única. Sofre-se muito, mas também dá muito prazer. O nosso objetivo é o alto nível”, indicou Franch Lamothe ao lado de courts de ténis onde jogam jogadoras de seleção como a russa Diana Shnaider, atual número 01 da Europa na categoria de sub-14.

“O meu gosto pelo ténis foi amor à primeira vista. E é muito importante competir a alto nível como acontece aqui. Estou muito entusiasmada, mas também ansiosa”, referiu.

A Taça Internacional Maia Jovem está inscrita no grupo 01 de torneios europeus para esta categoria, explicou João Maio da Escola de Ténis da Maia, garantindo que por este evento “passam os melhores da Europa e do Mundo”.

“A referência [destes jovens] são sempre os Rogeres Federeres ou um João Sousa. Eles querem o topo do mundo e para isso têm de competir com os Ferereres da sua idade de forma a terem uma medida, ganharem confiança, poderem decidir se devem ou não apostar numa carreira profissional”, afirmou João Maio.

Estima-se que sejam distribuídas 3.000 refeições ao longo dos nove dias de torneio, sendo que nos 25 anos o número aumenta para 75.000. Estão reservados 1.500 litros de água para este evento, num total de 37.500 no total das edições. A ?Maia Jovem’ 2018 terá, no total, 350 jogos de ténis e, à partida, serão precisas 1.200 bolas.

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Top