Alguns trabalhadores da empresa Fico-Cables dizem ter sido obrigados pela empresa a tirar férias em período de lay-off.

Alguns trabalhadores e SITE-Norte estiveram esta segunda-feira em frente à empresa Fico-Cables em protesto. Os trabalhadores dizem ter sido obrigados pela empresa a tirar férias em período de lay-off e o sindicato juntou-se a eles para um protesto na porta das instalações da fábrica de acessórios e equipamentos industriais, na Maia. A representatividade dos funcionários era escassa visto que, dos mais de 1 000 colaboradores da empresa, não estavam nem 10 pessoas na iniciativa organizada pela CGTP.

DS Crédito

Segundo reportagem do Porto Canal no dia do protesto, os funcionários dizem-se desrespeitados pela empresa. Explicam que, depois de um período em lay-off, alguns regressaram ao trabalho mas, passado poucos dias, foram novamente mandados para casa. E, além disso, terão sido avisados, com menos de uma semana de antecedência, de que iriam ficar de férias contrariando o plano de férias inicial. 

De acordo com comunicação publicada pela CGTP, a ação teve como objetivo “denunciar e contestar a marcação de férias que a empresa quer impor aos trabalhadores“. Miguel Ângelo Pinto, coordenador do SITE-Norte, em declarações ao Porto Canal, garantiu que “muitos [trabalhadores] continuam em lay-off” e que “a empresa mudou os planos de férias e obrigou os trabalhadores a gozar férias em período de lay-off”. O representante deste sindicato alertou que “esta empresa não é caso único” e que a o comportamento da entidade empregadora é “um ataque aos direitos mais elementares dos trabalhadores”.

A empresa não prestou declarações por considerar que “o grupo não é representativo da posição de mais de 1 000 trabalhadores da empresa”.

NACEX implementou entregas ‘Contacto Zero’ no contexto da crise pandémica

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.