Ao longo do último ano, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens na Maia não parou de trabalhar junto das famílias e jovens do concelho. Conheça o testemunho do presidente.

A pandemia obrigou milhares de pessoas a trabalhar em casa mas, na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens na Maia, a rotina permanceu quase intacta. Com as devidas precauções e regras de segurança, ninguém deixou de ser acompanhado.

Newsletter

António Marinho, presidente da CPCJ da Maia, explica ao NOTÍCIAS MAIA que uma atividade como esta não pode suspender-se e que o acompanhamento dos jovens e das crianças manteve-se inalterado.

NM: Em termos de números, quantos processos estão a ser acompanhados aqui pela CPCJ na Maia?

AM: Independentemente das problemáticas que lhes estão associadas, o ciclo normal de intervenção desta Comissão no Concelho da Maia, anda na ordem dos 400 processos.

NM: A pandemia trouxe-vos mais pedidos de ajuda ou mais alertas neste último ano?

AM: Eu não sei se é possível dizer que trouxe mais alertas, temos noção de um volume alargado de processos. Diremos que é possível encontrar no confinamento, que são os efeitos colaterais da pandemia, razões para o avolumar de alguns processos, nomeadamente, de algumas problemáticas, mas é prematuro.

NM: E como é que funcionou esse acompanhamento neste último ano? O trabalho continuou?

AM: Sim. A atividade que é desenvolvida numa Comissão de Proteção de Crianças e Jovens não é uma atividade que possa suspender-se. E sem prejuízo dos ajustes que nós tivemos naturalmente que implementar, mantivemos sempre as instalações abertas e o acompanhamento às famílias e às crianças manteve-se.

NM: O que é que a Comissão da Maia preparou para o mês da prevenção dos maus-tratos infantis.

AM: O mês de abril é um mês que por tradição se encontra associado à prevenção dos maus-tratos. Neste caso concreto, desafiado pela CPCJ da Maia, o Concelho da Maia iniciou um ciclo de atividades, como foi a colocação do laço azul nas crianças e professores. Aproveito e convido a que vejam o website desta comissão, onde temos lá muita informação relativa à atividade que tem vindo a ser desenvolvida. Posso dizer verdadeiramente que a cidade se vestiu de azul. A Câmara da Maia associou-se à nossa iniciativa iluminando as Portas da Maia de azul, numa clara intenção de chamar a atenção de todos para esta problemática.

NM: Porquê o azul?

AM: Rezam as crónicas que há uns anos atrás, uma avó californiana viu os seus netos serem alvo de violentos atentados por parte dos pais, que levaram à morte de um dos meninos. E para mostrar à comunidade o seu sentimento de revolta, sobre o que lhe tinha acontecido, decidiu pendurar na antena do seu carro um laço azul. O laço azul colocado por aquela avó serviu para dar um alerta à comunidade do que ela considerava que eram as nódoas negras e para chamar à atenção e comunicar. Nós, por competência territorial, trabalhamos as crianças do concelho da Maia, mas a preocupação é que todas as crianças do planeta estejam protegidas e que todos façamos por elas aquilo que efetivamente se nos impõem.

NM: No fundo este é um mês para nos lembrar que temos que estar atentos a este problema o ano todo?

AM: Isso mesmo. É um mês que nos deve despertar essa emoção, é um mês que por excelência nos vai colocar mais predispostos a determinada atenção. Mas sim, a pergunta é excelente, porque se por um lado nós ficamos felizes pelo envolvimento no mês de abril, por outro queremos que todos os meses a prevenção passe a figurar no dia-a-dia de todos.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.