"Maia, amiga da dádiva de sangue" com presença do FC Porto - Notícias Maia

Notícias Maia

“Maia, amiga da dádiva de sangue” com presença do FC Porto

Partilhas
Fotos: Tania Ramos

O Futebol Clube do Porto esteve hoje presente numa escola da Maia, enquanto embaixador do Programa Municipal de Saúde Escolar, “Maia, amiga da dádiva de sangue”.

Esta iniciativa Municipal decorreu entre as 09h30 e as 11h30, na EB1/JI Currais e contou com a presença de atletas da equipa de hóquei em patins do FCP.
Estiveram presentes a Vereadora dos Pelouros da Educação, Ciência e Saúde da Câmara Municipal da Maia, Emília Santos; o embaixador do Programa Municipal de Saúde Escolar – o Futebol Clube do Porto, representado pelo gestor das modalidades, Fernando Santos; da Presidente da Junta de Freguesia da Cidade da Maia, Olga Freire, da Dra. Susana Silva em representação do Agrupamento Goncalo Mendes da Maia, da coordenadora da escola EB1/JI de Currais e do Presidente da Associação de Pais desta Escola, Sérgio Silva Pinto.
A Madrinha deste Projeto: MAIA, amiga da dádiva de sangue é a jornalista Ana Guedes Rodrigues, diretora de produção do Porto Canal.

“Maia, amiga da dádiva de sangue” consiste num projeto de Saúde e Cidadania, no âmbito do Programa Municipal de Saúde Escolar 2017/18 que a CMMaia, em parceria com o Instituto Português do sangue e da Transplantação disponibiliza às Escolas do concelho da Maia. Com este projeto pretendemos entre outras mensagens, motivar os alunos para a adoção de atitudes positivas, responsáveis e de compromisso perante a saúde e solidariedade.

Assim, a sensibilização para a dádiva de sangue junto das crianças e suas famílias é um objetivo considerado prioritário ao nível da intervenção na área da Saúde Escolar.

Este projeto tem dois objetivos principais:

Dar a conhecer e sensibilizar os jovens, a comunidade escolar e famílias, para a importância da dádiva de sangue;
Motivar os alunos para a adoção de atitudes positivas responsáveis e de compromisso perante a saúde e solidariedade onde as crianças poderão ser jovens dadores indiretos. Sublinho que as crianças são dadores indiretos de sangue porque ao evitar o acidente evitam gastar as reservas de sangue dos hospitais e desta forma contribuem para que não haja gastos desnecessários.
Foram já cerca de 300 alunos que, no presente ano letivo, contaram com a visita de uma técnica do Instituto Português do Sangue e da Transplantação nas suas salas de aula, onde decorreram ações de sensibilização nesta temática.

Hoje foi a vez da EB1/JI Currais acolher este projeto num dia especial que contou com a presença do embaixador do Programa Municipal de Saúde Escolar, o Futebol Clube do Porto.

COMENTE

Newsletter

E-mail
Top