Maia quer ter hipódromo para apostas de cavalos

 

Silva Escura é o local no país onde há mais corridas e a Autarquia quer ter apostas hípicas no concelho, sendo que o novo equipamento ficará em terreno municipal. Já há contactos de investidores franceses e marroquinos interessados no negócio. O Município quer ter um dos três centros onde será possível jogar em Portugal e prepara o projeto de um novo hipódromo, oito ve­zes maior do que o atual em Silva Escura. A construção do equipamento, que ocupará cerca de 40 hectares de terreno, será suportada por privados através de uma parceria de construção e de exploração.

A ambição do presidente da Câmara maiato, Bragança Fernandes, é ver reconhecida e recompensada pelo Governo a tradição das corridas de cavalos em Silva Escura. Há 40 anos que os cavalos competem naquela freguesia e o hipódromo municipal é hoje o espaço que acolhe mais competidores. O vice-presidente e diretor nacional de corridas da Liga Portuguesa de Criadores e Proprietários de Cavalos de Corrida, Manuel Armando Oliveira, confirma que cerca de 50% das corridas de cavalos em território luso acontecem na Maia.

Por determinação do Ministério da Agricultura e do Mar, será lançado em breve o concurso público para a escolha dos três hipódromos onde será possível apostar em corridas de cavalos. A consulta será aberta pela Direção-Geral de Alimentação e Veterinária. É a pensar nesse concurso que a Câmara da Maia já definiu a localização do novo hipódromo, que reunirá todas as condições exigidas pelo Estado.

O centro ficará na margem da A3 e a poucos quilómetros do nó do Milénio (a construir) da A41. O terreno com 60 hectares é municipal e fica na fronteira de Silva Escura com Nogueira, a cerca de quatro quilómetros do aeroporto e próximo da linha ferroviária do Mi­nho.

Fonte: Jornal de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *