Notícias Maia

Olha para o que eu digo e de uma vez por todas copia o que faço

Partilhas

Nem de propósito!!! Ainda na semana passada me declarava rendido à capacidade negociadora, à eloquência da causa pública, à concretização de figura de defesa inequívoca dos interesses do Norte do Dr. António Ferreira, presidente do conselho de Administração do Centro Hospitalar S. João, que nesta semana foram divulgados números verdadeiramente impressionantes no domínio da excelência da gestão pública.

Espante-se o leitor, mas afinal é possíveis às instituições públicas, desde que bem geridas darem lucro! E esta, hein?!

O que será preciso para copiar o modelo? Dedicação? Competência? Solidariedade? Inteligência? Obstinação? Arrogância? Provavelmente uma pitada de tudo um pouco, misturado em doses certas, no momento certo de confecção.

Segundo os dados divulgados sobre o desempenho assistencial ocorrido no primeiro semestre do Centro Hospitalar S. João as primeiras consultas aumentaram cerca de 10%, enquanto as consultas no total aumentaram em cerca de 5%. As cirurgias tiveram um aumento de cerca 4,8% sendo que nas cirurgias de ambulatório esse aumento se cifrou nos 7,2%. Só estes números, revelam por si só uma maior eficiência, rentabilidade dos espaços cirúrgicos, da consulta externa, e, consequentemente, dos recursos humanos que lá colaboram e intervêm.

Também os tempos médios para beneficio de consulta e cirurgias diminuíram, assim como o tempo médio de pagamento aos seus credores e ainda foi possível reduzir a divida em cerca de 49,5% , relativamente aos valores apresentados em 2013.

Perante tantas dificuldades que todos nós vivenciamos, os números apresentados por este Centro Hospitalar são quase um verdadeiro oásis no domínio da gestão de entidades públicas. Para a obtenção destes resultados, só pode ter sido conseguido com motivação de todos os colaboradores, com espírito de missão entre todos e munidos, todos eles, de um espírito de missão em volta da instituição e de todos os doentes que por lá passam (que não são poucos a julgar pelos números).

Espero, sinceramente que estes resultados possam continuar com a mesma dinâmica até ao final deste ano. Tal significaria, que por cá também quem finque o pé às medidas, e que tem razão.

Significa também que a meritocracia deve ser o primeiro valor a ser considerado em qualquer lugar profissional, seja ele publico ou privado. Significa que as instituições públicas não existem para dar prejuízo, e que mesmo com pouco, se pode fazer muito. Significa que quando temos razão e acreditamos nos nossos projectos não devemos abdicar dos nossos valores em prol de qualquer outra conveniência. Significa que afinal o Estado tem futuro, basta para isso surgirem as pessoas a certas para o regular.

A isto tudo apetece dizer “Olha para o que eu digo e de uma vez por todas copia o que faço!!!

Ricardo Filipe Oliveira
Médico
Mestre Eng. Biomédica (FEUP)
Lic. Neurofisiologia (UP)

Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

COMENTE

Partilhas
Top