Vítima foi abusada sexualmente quando tinha apenas 10 anos, pelo avô, de 71, tendo tentado evitar estar a sós com o familiar durante 4 anos. Acabou por ser denunciado pela mãe da criança.

O caso está a ser julgado no tribunal de Matosinhos, depois de em maio de 2018, o avô da vítima ter voltado a atacar, no quintal da casa dos avós, na Maia. Enquanto a avó foi à casa de banho, o avô apalpou o corpo da adolescente, tendo afirmado “És linda. Tu vais ser minha”, avança o Correio da Manhã.

Cozinca

Acabou por denunciado pela filha, mãe da vítima. Desde então que a família cortou relações com o agressor, tendo até mudado de casa.

À Polícia Judiciária, o arguido admitiu ser culpado, tendo mostrado estar arrependido. O reformado não tem cadastro e encontra-se em liberdade.

O Ministério Público exige ainda uma indemnização no valor de 14 mil euros, a ser entregue à vítima.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.