Está neste momento em avaliação e deverá hoje ser tomada uma decisão nesse sentido

Devido ao aumento brutal de casos 524 no concelho do Porto, que hoje passou de 417 para 941 e à possibilidade de o concelho e a área metropolitana se encontrarem esquecidos pelo plano nacional de contenção, Graça Freitas admitiu na conferência de imprensa desta segunda-feira, a possibilidade de instaurar um cerco sanitário.  “Está neste momento [em decisão] e deverá hoje ser tomada uma decisão nesse sentido”, afirmou.

Os dez concelhos com mais casos positivos são os mesmos de ontem mas os números são bastante distintos. O concelho do Porto subiu 524 casos, chegando agora aos 941, ao mesmo tempo que a Maia sofreu o aumento mais ligeiro dos últimos dias, de 296 para 313 casos.

Presidente da Câmara da Maia já tinha questionado ARS Norte

Na passada terça-feira, a autarquia da Maia informou através de um comunicado que Silva Tiago “evocou a possibilidade de ser decretado o estado de calamidade no concelho e a instituição de um cordão sanitário, mas o principal responsável da administração de saúde do Norte revelou que a situação da Maia não é diferente da maioria dos concelhos do Norte e do País. Acresce que um cordão sanitário se justifica, do ponto de vista técnico, quando se está perante uma transmissão comunitária, não havendo dados, neste momento, que isso se verifique na Maia, onde estão identificadas as cadeias de transmissão do vírus“.

Gaia, Maia, Valongo e Gondomar pediram cercas sanitárias durante a semana passada. ARS Norte recusou.

Na semana passada, a Administração Regional de Saúde (ARS) Norte não via resultados numa cerca sanitária por causa do coronavírus, como acontece em Ovar, e recusou que fosse ativada em quatro concelhos do Grande Porto. A denúncia foi feita pelo presidente da Câmara de Gondomar e da Comissão Distrital da Proteção Civil, Marco Martins. A explicação dada pela ARS Norte ao autarca foi a de que a cerca sanitária não é eficaz, tem mesmo sido dado como exemplo o caso de Ovar, onde os responsáveis da ARS Norte dizem não estar a resultar.

Rui Moreira lançou duras criticas

Numa publicação na rede social Facebook, o autarca do Porto critica a falta de estratégia do Governo para ” para cinco dos seis municípios que mais casos e mais mortes registam: Porto, Gaia, Maia, Matosinhos e Gondomar, de que o Porto é epicentro geográfico, demográfico e hospitalar”. Rui Moreira denuncia ainda que, ignorando o resto do país “com o apoio oficial e da televisão do Estado, decorre um peditório nacional para instalação de um hospital de campanha na capital”.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.