A IV Cimeira da Educação realizou-se na passada terça-feira, dia 5 de fevereiro, num ambiente que pretendeu ser um “espaço de reflexão conjunta” entre os diversos agentes da comunidade educativa: diretores de agrupamentos de escolas, coordenadores de estabelecimentos de ensino, associações de pais e autarcas.

Estes encontros são promovidos pela Câmara Municipal e reúnem os diversos agentes da comunidade educativa.

Cozinca

Trata-se de espaço de reflexão conjunta. Sendo a quarta Cimeira realizada durante este mandato, resolvemos ter uma ordem de trabalhos diferente, virada para a partilha de boas práticas”, explicou Emília Santos. A vereadora da Educação desafiou os diversos Agrupamentos Escolares a apresentar os seus projetos em curso como forma de partilha e discussão de ideias.

“Quando mostramos aos outros o que estamos a fazer, todos ganhamos com isso, porque não há competição mas sim entreajuda”, sublinhou Emília Santos.

Segundo a vereadora, a Maia está apostada em dar passos largos para atingir plenamente os modernos conceitos educativos conseguindo uma escola mais aberta à comunidade, humanizada, que coloque o aluno no centro do processo educativo, que privilegie a exploração e a cultura colaborativa.

“O ensino não pode ser uma soma de estatísticas positivas para os políticos. Tem de ser a multiplicação de experiência, valores e potencialidades para aos alunos”, afirma a vereadora.

Os projetos apresentados pelos 7 diretores dos agrupamentos escolares maiatos abordam temas como a inovação, autoaprendizagem, os recursos tecnológicos, a implantação digital, os trabalhos colaborativos, a cidadania, a educação inclusiva, a valorização da diversidade, a não discriminação e o apoio à aprendizagem.

De realçar a intervenção do Prof. Marco Bento, investigador da Universidade do Minho, que fez o balanço do SUPERTABI maia, um projeto promovido pelos Agrupamentos Escolares, com o apoio da Câmara Municipal da Maia e das Associações de Pais, em curso em 7 escolas piloto – 7 ambientes educativos inovadores do Concelho da Maia (pedagógicos, tecnológicos e espaços de aprendizagem).

“Pessoalmente, agrada-me que as expressões e elogios mais repetidos durante a IV Cimeira da Educação da Maia tenham sido: “trabalho colaborativo”, “trabalho a várias mãos”, trabalho “participado”, trabalho pela “inclusão e entreajuda”. Isso diz bem por que razão a Maia é um exemplo a seguir da Educação em Portugal”, concluiu Emília Santos.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.