fbpx

Notícias Maia

Nem uma para amostra. Circ retirou trotinetes da Maia

© DR
Partilhas

Empresa comunicou “há algumas semanas” à Câmara Municipal a retirada dos veículos. Tanto a autarquia como a Circ não informaram os utilizadores.

A notória ausência de trotinetes da marca Circ, anteriormente Flash, deve-se a uma retirada estratégica por parte da empresa. Fonte da Circ, contactada pelo Notícias Maia, explicou que a decisão se deve a questões de reposicionamento da marca.

A mesma fonte explicou ainda que a Circ quer “avaliar novas estratégias” para a zona Norte e, questionada sobre a eventual retirada das trotinetes em outras cidades, afirmou que esta apenas aconteceu no concelho da Maia. A Câmara Municipal terá sido informada desta operação há “algumas semanas”, concluiu a mesma fonte.

O Notícias Maia contactou a Câmara Municipal da Maia para compreender a posição do município e Mário Nuno Neves, vereador da autarquia, explicou ao nosso jornal que não lhe parece ser “vocação da Câmara Municipal comentar decisões de empresas privadas, sobretudo quando as mesmas não implicam qualquer perda de postos de trabalho. O Município da Maia, sobre este assunto, limitou-se a autorizar a operação, encarando-a como uma experiência e por isso mesmo não a regulou nem taxou, obrigando apenas a que os operadores cumprissem condições rigorosas em relação a parqueamento e recolhas”.

Mário Nuno Neves afirmou ainda que esta foi “uma experiência, que se traduzia na disponibilização de um meio de transporte alternativo, movido a energia limpa aos Munícipes maiatos, por parte de operadores privados. Essa experiência parece não ter sido proveitosa para esses mesmos operadores – muito provavelmente pelos custos de utilização do mesmo (um euro por desbloqueio da trotinete e mais 15 cêntimos por minuto de utilização), que eram os mesmos na Maia e em Estocolmo – como não tem sido noutros municípios do País, excepto aqueles em que se verificam bons fluxos turísticos”.

Movmaia.pt

A autarquia, aquando da disponibilização das trotinetes nas ruas do concelho, lançou um sítio na internet ao qual os utilizadores poderiam aceder para recolher mais informação sobre os projetos de mobilidade do concelho.

Nele pode-se ler que “com vista a dar continuidade a esta visão estratégica, criamos o projeto movMaia, cuja missão é consolidar e afirmar a qualidade de vida e a vivência do território, a sustentabilidade integral e a conectividade e o desenvolvimento tecnológico, numa área fundamental como é a mobilidade. Uma mobilidade que se pretende sustentável e capaz de dar resposta às mais diversas necessidades da população”.

As referências às trotinetes da antiga Flash, agora denominada de Circ, ainda estão presentes.

Projeto arrancou a 10 de abril

Recorde-se que a Maia foi um dos primeiros concelhos do distrito onde a solução ficou disponível, tendo o município anunciado na data que “a cooperação institucional entre a Câmara Municipal, a GNR, a PSP e a própria Polícia Municipal, vai permitir, nesta fase inicial, de instalação do primeiro serviço de aluguer das trotinetes, uma observação criteriosa e partilhada com aquelas autoridades, que tem como objetivo essencial, compreender de que forma estes veículos vão prestar o seu serviço à comunidade e avaliar eventuais constrangimentos ou riscos para a segurança das pessoas, na sua interação com o espaço público, quer no que implica com o trânsito automóvel, mas principalmente com os peões”.

Mário Nuno Neves, à data Vice-Presidente e responsável pelo Pelouro do Planeamento, afirmou acreditar que “o envolvimento das forças de segurança, dada a sua experiência do terreno, permitirá à Câmara Municipal, dentro das suas competências e responsabilidades, tomar as medidas de regulação que lhe são próprias, e apenas essas, para cuidar o melhor possível da segurança de quem circula na Maia”.

 

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Mais Populares

Top