Notícias Maia

Noite de música e poesia com os D’alma na abertura da Feira do Livro

CBaviera_Maia
© DR
Partilhas

A abertura da Feira do Livro da Maia teve uma atração especial. Os D’Alma, banda que canta os versos dos grandes poetas da lusofonia, como Camões e Fernando Pessoa, realizou um concerto memorável no anfiteatro do Fórum Maia, a cantar seus maiores sucessos, e atraiu centenas de pessoas que dançaram e cantaram ao som da banda de pop rock da Maia.

trEne as músicas cantadas, os D’Alma apresentaram seu novo single ‘Não Sei Quantas Almas Tenho’, inspirada em poema homónimo de Fernando Pessoa e cantaram temas que fazem parte da trajectória da banda, como “Todas as Cartas de Amor são Ridículas ”, que fez parte da banda sonora da telenovela Belmonte da TVI.

Esta banda de pop rock D’alma tem trazido uma proposta musical diferenciada e está a destacar-se na cena da música portuguesa. Utilizando um registo diferente do habitual e melodias com uma sonoridade pop/rock, os D’Alma perpetuam os grandes poetas lusófonos em suas canções.

A grande lista de poetas que tiveram textos transformados em canções pelos D’Alma é extensa: Florbela Espanca, Fernando Pessoa , Sebastião da Gama, Mário de Sá Carneiro,  Miguel Torga , Luis Vaz de Camões, Sofia de Mello Breyner, António Aleixo , Joaquim Pessoa, Antero de Quental, Pedro Chagas Freitas, Raul Minh’alma, Agustina Bessa Luís e até mesmo José Saramago Prémio Nobel da Literatura.

Segundo os integrantes da banda, o objectivo principal dos D’Alma é unir culturas diferentes com a poesia através da música. Além dos poetas portugueses, a banda traz em suas melodias versos de grandes escritores do Brasil, como Machado de Assis e Olavo Bilac, de Moçambique Mia Couto, de e de Angola Isabel Ferreira. Este objectivo bem definido é muito criativo, sensível e enriquecedor. 

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Mais Populares

Top