Notícias Maia

Novos parquímetros na Cidade da Maia já estão a ser instalados

Partilhas
© DR/Notícias Maia

A medida foi anunciada em outubro passado. Plano para instalação de novos parquímetros tem como objetivo a criação de mais 622 lugares pagos.

A instalação dos novos parquímetros na Cidade da Maia, iniciou em dezembro, pela mão da Empresa Metropolitana de Estacionamento da Maia (EMEM). Ao que foi possível apurar, a Avenida António Santos Leite e algumas ruas circundantes já se encontram com estacionamento na via pública pago.

A medida, proposta pela empresa municipal EMEM, foi aprovada por unanimidade pelas forças políticas presentes no executivo camarário (PS/JPP e PSD) e, aprovada, novamente, por maioria em Assembleia Municipal, com os votos favoráveis da coligação “Maia em Primeiro e da coligação “Um Novo Começo” e votos contra do BE e do PCP.

EMEM defende que o estacionamento no centro da Maia tem falta de rotatividade

A EMEM suporta a  criação destes novos lugares pagos, num estudo feito pela própria, que revela existir “falta de rotatividade” perto de estabelecimentos de comércio ou que fornecem serviços públicos, em alguns lugares no centro da Cidade da Maia e em zonas circundantes ao aeroporto. O mesmo estudo garante ainda haver estacionamento abusivo e zonas onde é manifesta a insatisfação dos residentes quanto a esta matéria.

Quem habita nos locais que passam a ser pagos, pode pedir cartão de morador

O estacionamento na Maia custa 55 cêntimos por hora.

Os habitantes do centro da cidade podem requerer, junto da EMEM, um cartão de morador que tem o custo de 9,23 euros e garante o estacionamento durante dois anos.

Os comerciantes com estabelecimentos no centro da Maia também têm descontos.

Apesar dos votos favoráveis da maioria das forças políticas, medida também mereceu críticas

Esta medida acabou por merecer algumas críticas, nomeadamente da Presidente da Junta de Freguesia da Cidade da Maia e Deputada Municipal, Olga Freire, que além de se abster na votação do ponto, em declaração de voto sublinhou que “a proposta apresentada [pela EMEL] não é justa, nem coerente e não vai resolver os problemas de estacionamento no centro da Cidade”.

Para Olga Freire, o estudo que suporta a instalação destes parquímetros “não está devidamente fundamentada e não fica demonstrado que colocar estes parcómetros nestas ruas, não é melhor ou pior, assim como mais ou menos eficaz, do que colocar noutras artérias da freguesia, ou do concelho”, afirmando que “pelo contrário”, o resultado será o “aumento do estacionamento abusivo” assim como o aumento “do custo de quem reside e trabalha no centro da cidade”.

Mais acrescentou, referindo que seria “oportuno ouvir previamente as Juntas de Freguesia sobre este assunto”.

A bancada da Coligação PSD/CDS, que suporta a maioria na autarquia, decidiu pela mão do seu líder parlamentar, António Fernando, criar uma “comissão de acompanhamento da implementação” do proposto, que é presidida pela Presidente da Junta de Freguesia da Cidade da Maia, Olga Freire, detendo nas suas competências a fiscalização da referida implementação.

 

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Top