A mais importante exposição de fotojornalismo está novamente na Maia. Pode visitá-la gratuitamente até 23 de novembro.

São 140 fotografias de 43 fotógrafos oriundos de 25 países. Esta 62ª edição do World Press Photo é exposta em mais de 45 países num total de aproximadamente 100 cidades. Pela 19ª vez, a Maia volta a ser uma paragem obrigatória desta mostra que é vista, anualmente, por milhões de pessoas em todo o mundo. Em Portugal, o World Press Photo é apenas exposto em Lisboa e na Maia.

Nonna Vespa

A partir de hoje, dia 31 de outubro, e até 23 de novembro, poderá visitar gratuitamente a exposição no Fórum da Maia. Em 2018, o número de visitas ultrapassou as 9 mil pessoas. A inauguração aconteceu ontem, 30 de outubro, e contou com a presença de alguns convidados que percorreram, pela primera vez, a mostra de fotografias. Entre os convidados esteve o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, o vereador Paulo Ramalho, o fotógrafo português premiado Mario Cruz e a comissária da Fundação WPP, Samira Damato. Depois de pequenas intervenções dos três primeiros, Samira precorreu a exposição com os convidados explicando algumas das fotografias.

Sobre o World Press Photo

O world Press Photo foi criado em 1955 por um grupo de amigos alemães que queriam mostrar o seu trabalho numa escala global. Desde então, esta exposição, que é primeiramente um concurso, tenho ganho uma notoriedade sem precedentes.

Através de um jurí independente, o WPP premeia diversas fotografias em diferentes categorias. Os jurados avaliaram, nesta edição, um total de 78 801 fotografias de mais de 4 mil fotógrafos, oriundos de 129 países.

Em 2019, a Fotografia do Ano é da autoria de John Moore, intitula-se “Menina a chorar na fronteira” e retrata uma criança hondurenha, Yanela Sanchez, a chorar quando ela e a sua mãe, Sandra Sanchez, são levadas em custódia por oficiais da fronteira dos EUA, em McAllen, no estado do Texas. Sandra contou que ela e a sua filha viajaram durante 1 mês, até chegar à fronteira.

Entre as fotografias vencedoras está a foto de um português. Mário Cruz recebeu o 3º Prémio na categoria de Ambiente, com uma fotografia intitulada “Vivendo entre o que ficou para trás”, que retrata uma criança que coleta material reciclável num colchão cercado por lixo a flutuar no rio Pasig, em Manila, nas Filipinas. Este fotógrafo também já havia visto o seu trabalho premiado numa edição anterior da World Press Photo.

COMENTE

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.