O surto do novo coronavírus terá tido origem num mercado de animais vivos em Wuhan.

As autoridades de Wuhan, na China, proibiram oficialmente a caça e o consumo de todos os animais selvagens. De acordo com um comunicado das autoridades regionais, os agricultores estão a receber quantias em dinheiro para parar a procriação de animais exóticos.

O comunicado, refere a Newsweek, enumera uma lista de proibições que têm efeitos imediatos e uma duração de cinco anos. Passa então a ser proibido vender e comer animais selvagens, sejam capturados ou criados em cativeiro.

Como parte da proibição, a cidade introduziu controlos rigorosos em torno da criação de todos os animais selvagens, proibindo que qualquer um fosse criado para alimentação.

Recorde-se que a pandemia de Covid-19 teve origem na cidade de Wuhan, na China, em dezembro de 2019 e, até ao momento, já fez mais de 324 mil vítimas mortais. São quase 5 milkões os infetados em todo o

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem o NOTÍCIAS MAIA, jornal digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O NOTÍCIAS MAIA é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler o NOTÍCIAS MAIA, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar o NOTÍCIAS MAIA - e só demora um minuto. Obrigado.