Notícias Maia

“Equidade na Educação”

© Notícias Maia
Partilhas

O orgulho de ser autarca reside em poder ajudar a nossa terra. Porém, orgulho maior é saber que o nosso trabalho tem realmente uma influência positiva na vida das pessoas. É isso o que sinto com as iniciativas da Câmara Municipal da Maia dedicadas às crianças do 1º ciclo do ensino básico que têm necessidades de saúde especiais.

Na Maia não somos apenas adeptos de seguir as novas tendências educativas. Acompanhar as mudanças é importante porque nos torna atualizados, mas temos de ser também agentes de mudança. E nós fazemos gala de inovar tanto na tecnologia como na pedagogia.

Uma das áreas em que estamos particularmente focados é a da “Equidade na Educação”. Neste campo, a Maia abraça cuidados e atividades destinados a cumprir duas missões de qualquer responsável educativo: a primeira é “não deixar ninguém para trás”; a segunda é “estimular o potencial de cada aluno”.

Porquê estas missões? Porque a sociedade é mais forte se todos tiverem condições para crescer e se forem incentivados a melhorar as suas capacidades. A comunidade só se realiza se os indivíduos se conseguirem realizar!

Assim, e na vertente da “Equidade”, as políticas educativas na Maia promovem um trabalho terapêutico para as crianças com necessidades mais sensíveis. O objetivo principal é aumentar o seu potencial. As metodologias envolvem uma articulação com professores e terapeutas, adequando o respetivo trabalho às características das crianças.

Mas, para além desse objetivo mais importante, centrado no aluno, a Câmara da Maia está também a pensar nas dificuldades e necessidades de muitas famílias que não conseguem suportar sozinhas as terapias necessárias para o bem-estar e desenvolvimento das crianças. Aliás, as respostas do Estado e Sistema Educativo a estas famílias, principalmente em período de férias, são inexistentes.

Assim, para apoiar o desenvolvimento das crianças e ajudar as famílias, a Maia dispõe de atividades que vão da Natação à Equitação, passando pela Musicoterapia e pela ocupação lúdica de tempos livres. Tudo numa ótica terapêutica, pedagógica e de inclusão.

Os resultados animam-nos e mostram que estamos no caminho certo. Esse é o melhor retorno: saber que o nosso trabalho realmente conta!

Emília Santos
Vereadora dos Pelouro da Educação, Ciencia e Saúde

COMENTE

Publicidade

Publicidade

media & meios

Newsletter

Mais Populares

Top